Eficácia e segurança dos inibidores orais da janus quinase para o tratamento da dermatite atópica


Doença crônica, recorrente e insistente, o tratamento da dermatite atópica (DA) pode ser difícil. Dessa forma, para tratar a DA moderada a grave, os inibidores da janus quinase oral (JAKi) podem ser uma opção.

Um artigo de revisão sistemática – elaborado por especialistas canadenses e publicado este mês na Frontiers in Medicine – teve como objetivo revisar a eficácia, segurança e características farmacocinéticas de JAKi oral no tratamento da DA. Para isso, foi elaborada uma revisão sistemática PRISMA com informações dos bancos de dados MEDLINE, Embase e PubMed para estudos de avaliação da eficácia, segurança e/ou propriedades farmacocinéticas das formas orais de JAKi no tratamento da DA em populações pediátricas ou adultas, até junho de 2021.

Foram revisados 496 artigos e, dos 28 submetidos à triagem de texto completo, 11 preencheram os critérios de inclusão para a revisão qualitativa final. Quatro estudos examinaram o abrocitinibe, três o baricitinibe, três upadacitinibe e um o gusacitinibe (ASN002). Foram relatados uma eficácia clínica significativa e um perfil de segurança tranquilizador para todos os agentes JAKi revisados. O controle rápido dos sintomas foi relatado para abrocitinibe, baricitinibe e upadacitinibe.

Como conclusão, os especialistas recomendam considerar o uso de JAKi como opção de tratamento sistêmico confiável para pacientes adultos com DA moderada a grave, que não respondem a tratamentos tópicos ou direcionados. Ainda segundo eles, dada a evidência relativamente limitada para cada JAKi e as diferenças nos critérios de elegibilidade dos pacientes entre os estudos, os dados não foram considerados adequados para uma meta-análise neste momento.

Leia aqui o artigo na íntegra aqui.

LEIA TAMBÉM


Queratose actínica: desafios atuais e questões sem resposta.

Uma revisão publicada por Malvehy et al. (JEADV, junho 2024) teve como objetivo fornecer uma visão geral das características da...

Geração Z em risco de câncer de pele devido ao aumento das taxas de bronzeamento e queimaduras

Uma pesquisa realizada pela Academia Americana de Dermatologia (AAD) com mais de mil pessoas nos EUA mostrou que a Geração...

Doenças crônicas da pele na infância: estigmatização e impacto na saúde mental

Como a extensão da estigmatização está associada à visibilidade da doença, gravidade, saúde mental e qualidade de vida em crianças...

Recomendações de especialistas sobre o uso de terapêutica tópica para vitiligo em pacientes pediátricos, adolescentes e adultos jovens

Um artigo publicado no JAMA Dermatology (março, 2024) por Renert-Yuval et al. buscou desenvolver um consenso sobre o diagnóstico e...

Acne e tratamento de acne em pacientes transgêneros

Quais são as experiências vividas de acne e tratamento da acne entre indivíduos transexuais e de gêneros diversos? Essa foi...

Uma discussão sobre diagnóstico e tratamento da onicomicose e o aumento da resistência às terapias antifúngicas

Um artigo publicado no site da American Academy of Dermatology (AAD), por Allison Evans, analisou o diagnóstico e o tratamento...

Associação de linfedema de membros inferiores e câncer de pele

Um estudo de coorte retrospectivo, publicado por Anand et al. na Mayo Clinic Proceedings (novembro, 2023), buscou determinar se pacientes...

Avanços recentes na biologia da vitamina D

Um artigo publicado por Slominski et al. na edição de outubro do Journal of Investigative Dermatology, intitulado “Avanços recentes na...

Estratégias potencializadas pela nanotecnologia no tratamento do câncer de pele

A integração de múltiplas modalidades terapêuticas para abordar seletivamente as vias de promoção do câncer ou de manutenção de células...

BECAS PARA DERMATOLOGISTAS JOVENS

XLI RADLA REUNIÃO ANUAL DOS DERMATOLOGISTAS LATINO-AMERICANOS                           ...