Infecção por vírus do herpes simples em um neonato, durante migração para a Alemanha


Tema que causa bastante preocupação entre os profissionais de saúde atualmente, o processo migratório é uma realidade que assola diversos países. Por este motivo, a disseminação de doenças infecciosas neste cenário se tornou um grande problema. Tanto que, no primeiro dia do World Congress of Dermatology (WCD 2019), realizado em Milão, foram apresentados tópicos sobre doenças de pele disseminadas pelos imigrantes.

A Guerra da Síria é uma das maiores responsáveis pelo fluxo de pessoas para outros países. Com o objetivo de destacar a situação de saúde vivida por mulheres refugiadas sírias – gestantes e seus bebês – um artigo publicado no Travel Medicine and Infectious Disease – o jornal oficial da Sociedade Latino-Americana de Medicina de Viagem – expôs o caso de um neonato sírio, acolhido em um centro de refugiados na Alemanha, que quase faleceu devido a uma infecção disseminada pelo vírus do herpes simples tipo 1.

A infecção por este vírus é uma ameaça incomum, porém grave aos neonatos. A maioria das infecções por HSV neonatal são adquiridas de forma intrauterina (5%) ou por transmissão periparto (85%). O menino, de 5 dias de idade, foi transferido para uma unidade neonatal por presumível sepse e insuficiência hepática. Sua condição clínica se deteriorou e ele apresentou múltiplas lesões vesiculares orais.

Com suspeita de infecção pelo vírus do herpes simples neonatal, foi obtido líquido cefalorraquidiano (LCR) e iniciado tratamento com aciclovir. Ao quadro, foram somadas complicações causadas por insuficiência hepática aguda, alta demanda de vários produtos de coagulação, insuficiência renal e hemorragia intraventricular. DNA do HSV tipo 1 foi encontrado no LCR e no plasma. Dessa forma, foi diagnosticado HSV neonatal grave e disseminado.

Assim, seguiu-se um tratamento com ventilação invasiva, correção de coagulação e terapia antiviral, mas somente após duas semanas de aciclovir a carga viral foi menor do que 70 cópias / ml. O menino melhorou e suas funções hepática e renal estavam normais. O tratamento com o aciclovir (300 mg) foi continuado por seis meses. Felizmente, aos 2 anos de idade, o resultado de seu neurodesenvolvimento foi totalmente normal.

Fonte: http://bit.ly/2XQVaLC

LEIA TAMBÉM


Em prosa ou poesia, participe do espaço literário da XXXIX Radla Chile 2022!

Envie-nos sua história, conto ou poema até 21 de setembro. Ele poderá ser publicado em nosso e-book do Espaço Literário...

Envie seu trabalho científico antes de 18 de dezembro.

Se você tiver dúvidas ou comentários, escreva para nosso e-mail trabajosdeinvestigacion.radla2022@eventotal.cl. ⠀ Esperamos por você!⠀

XXXIX Radla Chile 2022

Prepare-se para a XXXIX Radla Chile 2022! O evento ocorrerá de 5 a 8 de maio, no formato 100% online....

Curta o verão, mas não se esqueça de proteger a sua pele

Neste mês, em que se inicia a estação mais quente do ano, é preciso redobrar a atenção aos malefícios da...

Quiz Radla #1

Evidências indicam que a acantose nigricans (hiperplasia epidérmica com escurecimento de áreas cutâneas como a axila, pescoço e virilha) é...

Apresentamos os delegados e os residentes brasileiros becados pela RADLA Argentina

Delegados da RADLA Argentina   Brasileiros becados pela RADLA Argentina

Infecção por vírus do herpes simples em um neonato, durante migração para a Alemanha

Tema que causa bastante preocupação entre os profissionais de saúde atualmente, o processo migratório é uma realidade que assola diversos...

Cigarro eletrônico e seus danos para a saúde

Chamados de dispositivos eletrônicos para fumar (DEF), os cigarros eletrônicos se tornaram uma mania, principalmente entre os jovens norte-americanos. Com...

Acne hormonal – Quando suspeitar?

Destaques RADLA 2019 – O Dr. Juan Carlos Diez Medina (Bolívia) destacou situações nas quais se deve suspeitar de acne...

Isotretinoína – Indicações não-clássicas

Destaques RADLA 2019 – O Dr. Gustavo Camino (Peru) considera importante, dentre as indicações não clássicas de isotretinoína, pacientes que,...