Cigarro eletrônico e seus danos para a saúde


Chamados de dispositivos eletrônicos para fumar (DEF), os cigarros eletrônicos se tornaram uma mania, principalmente entre os jovens norte-americanos. Com a venda proibida no Brasil, ainda não há pesquisas conclusivas sobre a segurança dos cigarros eletrônicos. Entretanto, o modismo vem preocupando especialistas e há diversos estudos apresentando os males que esses dispositivos eletrônicos causam à saúde.
 
Um deles, intitulado “Manifestações dermatológicas associadas ao uso do cigarro eletrônico”, publicado em abril deste ano no Jornal da Academia Americana de Dermatologia, teve como propósito ampliar a conscientização sobre os efeitos danosos causados pelo uso deste DEF. Efetuado a partir de relatos de usuários, o artigo concluiu que os cigarros eletrônicos podem causar manifestações dermatológicas prejudiciais, tais como dermatites de contato, lesões da mucosa oral e queimaduras térmicas.
 
Em um outro estudo, publicado no American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine, uma equipe de pesquisadores concluiu que o uso do cigarro eletrônico dificulta a passagem de muco pelas vias respiratórias – condição chamada de disfunção mucociliar – o que pode ampliar os riscos de desenvolver bronquite.

De acordo com um dos autores do estudo, o diretor de medicina interna e professor da Universidade do Kansas, Mathhias Salathe, a questão a ser analisada era se o vapor contendo nicotina exercia efeitos negativos sobre a capacidade de limpar as secreções das vias aéreas, de forma parecida à fumaça eliminada pelo cigarro.

Dessa maneira, os pesquisadores observaram que jovens usuários do cigarro eletrônico que nunca haviam fumado anteriormente estavam predispostos a desenvolver bronquite crônica, da mesma forma que os fumantes convencionais.
 
Fontes:
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/30965061
https://www.atsjournals.org/doi/10.1164/rccm.201811-2087OC

LEIA TAMBÉM


Uma discussão sobre diagnóstico e tratamento da onicomicose e o aumento da resistência às terapias antifúngicas

Um artigo publicado no site da American Academy of Dermatology (AAD), por Allison Evans, analisou o diagnóstico e o tratamento...

Associação de linfedema de membros inferiores e câncer de pele

Um estudo de coorte retrospectivo, publicado por Anand et al. na Mayo Clinic Proceedings (novembro, 2023), buscou determinar se pacientes...

Avanços recentes na biologia da vitamina D

Um artigo publicado por Slominski et al. na edição de outubro do Journal of Investigative Dermatology, intitulado “Avanços recentes na...

Estratégias potencializadas pela nanotecnologia no tratamento do câncer de pele

A integração de múltiplas modalidades terapêuticas para abordar seletivamente as vias de promoção do câncer ou de manutenção de células...

BECAS PARA DERMATOLOGISTAS JOVENS

XLI RADLA REUNIÃO ANUAL DOS DERMATOLOGISTAS LATINO-AMERICANOS                           ...

4 MOTIVOS para participar da RADLA 2024

De 08 a 11 de maio de 2024 temos um encontro marcado na 41ª Reunião Anual de Dermatologistas Latino-Americanos! E...

Ipilimumabe + nivolumabe em melanoma metastático refratário ao bloqueio PD-1

Um estudo randomizado de fase 2, publicado por VanderWalde et al. na Nature Medicine (agosto, 2023), demonstrou que o ipilimumabe...

Peeling de retinol 3% e cosmecêuticos para o bem-estar estético do paciente oncológico

Problemas cutâneos como aspereza, flacidez, erupções e rugosidade são comuns em pacientes com câncer de mama tratadas com análogo de...

Curetagem mais um ou dois ciclos de criocirurgia para carcinoma basocelular

Um artigo publicado no Journal of the American Academy of Dermatology (leia aqui o artigo na íntegra)  por Eva Backman et al.,...

ChatGPT e inteligência artificial em dermatologia: otimismo ou desconfiança?

Muito tem se discutido sobre o uso do ChatGPT e da inteligência artificial (IA) na medicina. Em seu editorial de...